Páginas

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Auto-estima equilibrísta

Eu tenho um sério problema que eu chamo de "auto-estima equilibrísta". Em um momento eu estou vivendo minha vida e escrevendo coisas legais sobre a Marian Keyes, no momento seguinte eu sou uma bullshit. O problema desses momentos em que eu sou uma bullshit é que eu realmente viro uma bullshit do tipo não-penteio-o-cabelo-como-porcaria-me-sinto-uma-melancia e passo o tempo inteiro criticando a mim mesma, além de demorar muito até conseguir um guindaste para me arrancar desse fundo do poço. Falando a verdade, nesses momentos de bullshitness eu tento convencer meu namorado de como ele é bom demais para mim e de como não mereço estar com ele. Juro que no passado esses dark places duravam meses a fio (claro que eu penteava o cabelo para ir à escola) e ainda tentava juntar seguidores com o meu lema: come to the dark side, we have fat, hot, dirty cookies. Agora esses momentos são mais rápidos porém constantes. A rapidez tem nome e sobrenome, Gabriel Pozzi, aquela pessoa que faz com que os momentos ruins vão embora rapidinho, a constância também, Falta de Confiança, que faz com que esses momentos voltem sempre. Sinceramente além do meu nome e aniversário são poucas as coisas que eu afirmo 100% sure, sempre na dúvida o que foi resultado de insegurança na infância, ensino médio torturante e amigos aproveitadores. A minha self-mastery tentativa de melhora é uma agenda com frases bright and shiny onde me obrigo a escrever todas as noites, meditação (ou tentativas de) balinesa, doses de tv/livros/filmes como distração e muito exercício físico (quem sabe as endorfinas não aparecem para ajudar).
Sabe o que eu queria? Ser uma mente simples, só isso. Queria ter sido uma daquelas crianças que respondem "mamãe" quando perguntadas sobre o que querem ser quando crescerem, mas não. Sempre respodi médica, veterinária, advogada, cientista, nadadora, professora, cineasta... me ferrei, hoje eu sou uma dessa pessoas que dormem e acordam para ter faculdade perfeita, apartamento na zona oeste, marido atencioso que sabe cozinhar, trabalho incrível na chefia, viagens sem fim para o exterior, tudo isso enquanto escrevo um livro, faço meu doutorado na Brown e meu telefone não para de tocar com propostas de empregos quentíssimos, além de ganhadora de prêmios infinitos, claro. Eu passo longe de uma mente simples, coisa peculiar para quem passa a semana inteira de pijamas.

8 comentários:

Au disse...

Gostei do texto.
A insatisfação bem humorada, quando bem escrita, torna-se algo quase obrigatório de ser lido...
E, se vale minha opinião, não queria ter uma mente simples.
E eu respeito todas as pessoas que gostam de passar o dia de pijama, trabalho em um banco, e se pudesse viria trabalhar de pijama todos os dias.


Beijo!

Tary disse...

Adorei o post! Ter uma mente agitada tem seu preço. Quem foi que disse que não tinha, não é verdade? Pessoas simples podem ser mais tranquilas e até mais felizes, mas ter uma mente complicada nos torna seres humanos muito mais fascinantes e dispostos a fazer de tudo para continuar. Mesmo que, às vezes, a vontade seja ficar de pijamas pra sempre. Beijooooo =*

Carol disse...

Tenho que concordar com a Tary. Por mais que pessoas simples talvez sejam mais felizes e tenham mais paz de espírito, uma mente agitada é muito mais interessante. Por mais que eu pire de tanto pensar, analisar, criar teorias e querer mais e mais, eu gosto de ser assim! Acho incrível ver/viver a vida além do óbvio! Admiro e busco pessoas assim, elas tem sempre mais a nos acrescentar! Adorei o texto e a tirinha da Mafalda! ^^


Beijos! :*

Gabriel Pozzi disse...

Oi amor.
Vou ter que discordar um pouquinho do seu texto dessa vez. Mas é por uma questão de ponto de vista.
Eu não acho que exista pessoas com mente simples. Acho que todo mundo é complexo, todos tem dificuldades particulares em sua vida, todos tem histórias fantásticas para contar, todos tem ambições guardadas no seu cérebro. Não vejo pessoas "planas", como dizia o Alexandre pra gente no primeiro ano do liceu, se referindo a personagens sem profundidade.

Veja o exemplo, você julga alguém que conheceu nos últimos anos sendo uma "mente simples"? Você pode achar pessoa X superficial, pessoa Y fútil, pessoa Z irritante, mas dúvido que irá concluir que alguém que conheceu é simples. Será uma coincidência então que todas as pessoas ao nosso redor são complexas?
Será coincidêcia que ninguém na caixa de comentários do seu blog irá dizer "oi, sou uma mente simples"?

Todos tem suas indagações internas, seus conflitos, seus problemas, suas crises existencialistas, enfim... Com o tempo, isso passa, e fico feliz de poder te ajudar a ficar menos de mal com a vida rsrs
No mais, o que vale a pena é sonhar sempre. Chico Xavier disse que "sonhos não morrem", então continue acreditando em tudo que deseja amor, e faça o bem, porque assim o melhor vem para a gente, sempre! :))

nathi disse...

Acho que é bom sonhar alto quando se vai atrás dessas coisas, eu às vezes perco sono pensando em como vou contruir minha casa quando crescer HIOAWHOIOWE
Em relação a auto estima acho deverias ver isso sabe, se não tem algo que te encomoda, porque você mesma tem que se fazer feliz, claro que é bom um namorado nos dando carinhoe falando coisas que sabemos ser verdade e de fato nos deixam melhor, mas não seria melhor ainda conseguir ficar melhor por si mesma? Todos temos que trabalhar nos nossos defeitos, beijos

Luisa Pinheiro disse...

Olha que esse post foi tão sincero e forte que eu nem reconheci você! (Abro as abas loucamente e vou lendo os posts dos blogs que gosto de forma aleatória).
E agora vou reler pra fazer um comentário decente...
Sinceramente, isso não é hora de ter crise de que vc queria uma vida mais fácil. Vida fácil faz alguém feliz? Porque quanto mais você se esforçar pelo que quer, melhor vai se sentir e nem vai ter tempo pra se sentir uma droga, ficar sem vontade de pentear o cabelo e etc. Porque aquela frase de mãe, que ficar sem fazer nada é um convite pro diabo (ou algo assim), tá muito certa.

Tiêgo R. Alencar disse...

Você transpareceu sinceridade e uma real verdade em cada palavra dita. Me identifiquei com você! Ah, e não se assuste com sua vida. Às vezes ela pode ser tão traiçoeira que a gente nem percebe. As dificuldades (e o prazer de ultrapassá-las) podem ajudar mais do que você imagina. A facilidade das coisas pode ser apenas uma mera ilusão. E sonhar é legal, então não tenha pena! hahahaha


Beijo :* Muito bom o texto!

Ninà disse...

Mentes inquietantes me atraem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...