Páginas

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Cinema em casa! parte 2

E em um Corpus Christi e aniversário do meu avô eu resolvi que daria uns minutinhos de descanso do meu caderno e faria o meme de 10 000 mil anos atrás que a Renata querida do Lonesome Pumpkin me passou.
O meme é aquele dos meus 10 (ou pouco mais) filmes favoritos. Shall we?

O fabuloso destino de Amélie Poulain.

Ao final dos 117 minutos desse filme você certamente sairá com mais fé na humanidade. Certeza. A história dessa francesinha excentrica que vê prazer em resolver a vida alheia compõe com certeza o meu filme favorito com as cores mais bonitas, as palavras mais doces e as cenas mais cativantes da minha memória cinematográfica. É o algodão doce cinematográfico!

Tudo acontece em Elizabethtown.

Kirsten Dunst vive Claire e sua arte do desapego, da sinceridade e da surpresa. É aquele filme que você tira uma conclusão diferente a cada vez que assiste. Talvez muitos não vejam tudo o que eu vejo nesse filme mas quando o assunto é cinema a subjetividade é um fator importante. Eu mesma chorei na segunda vez que eu o assisti. Achei mais triste o fracasso do Drew e seu suicídio que ficou pra depois, mais dolorosa a morte do Mitchell e mais bela a homenagem com “Free Bird”. E um dia eu farei uma road trippin' como a do Drew, farei sim.

Maria Antonieta.

A Sofia Coppola divide com o Woody Allen o podium dos meus diretores favoritos e isso é realmente something porque apesar de ter cursado um técnico em produção multimídia e suas inúmeras aulas de história do cinema geralmente eu mal olho o nome do diretor, tanto porque sei que um filme é muito mais que um cara como porque geralmente o estilo do diretor nem sempre é muito marcante, salvo exceções. Enfim, como a Coppolinha é minha diretora favorita foi muito difícil escolher um só filme dela, não que ela tenha muitos, mas são todos lindos. Me decidi por Maria Antonieta por causa da Kirsten que está genial como essa rainha inexperiente e até alienada em meio a uma fotografia delirante e uma trilha sonora de chorar.

Brilho eterno de uma mente sem lembranças.

Você já quis muito esquecer alguém? Apagar as memórias que você compartilha com uma pessoa? E você sabe se essa pessoa também quer ser apagada? Isto é o que você encontra ao ver este filme que é no mínimo inusitado, daqueles que você se pergunta “de onde foi que veio essa ideia?”. Sim, quando vejo Brilho eterno estou exatamente onde eu queria estar. E ainda tem uma pontinha de luxo da minha queridinha, Kiki.

Adeus, Lenin.

Sabe aqueles filmes que o seu professor de geografia indica mas você nunca bota fé em ver? Você deveria tentar ver pelo menos esse. Um filme alemão sem a Kirten Dunst, só pra vocês não dizerem que só gosto de filmes com ela. Conta a história de uma senhora que entra em coma com o país de um jeito e sai dele em uma nova Alemanha que o filho tenta poupá-la de conhecer. É um roteiro genial. Vi este filme no ano passado e indiquei até mesmo pra um colega de classe com quem eu nunca havia trocado uma palavra sequer.

Correndo com tesouras.

Este é um filme sobre uma vida normal. Um adolescente vai morar na casa do psicólogo da mãe, isto é normal. A árvore de Natal está armada há 2 anos, isto é normal. Quebrar o teto da cozinha por precisar de espaço, isto é normal. Tudo é normal. Baseado em um livro maravilhoso de mesmo nome.

Meia noite em Paris.

Será que vale a pena ficar preso nos valores do passado? E nas suas memórias? Por que outra época parece melhor que a que você vive? O que sua geração tem de bom? Afinal, quais são seus sonhos? O Woody Allen sempre me deixa cheia de dúvidas... Desde o primeiro minuto você SABE que esse é um filme de Woody Allen mesmo sem vê-lo pessoalmente, só mesmo através do Owen Wilson que arrasou sendo o Woody. Este recém visto filme entra pra lista dos meus favoritos assim de cara.

O grande ditador.

Eu digo que o Chaplin inventou o cinema e vê se não discorda. Nunca vou esquecer que este foi o filme que eu vi assim que cheguei em casa depois da minha colação de grau do ensino médio. Depois de um dia desses ouvir o discurso final deste filme foi a melhor coisa que eu pude pedir. Como poderia haver tanta doçura no coração de um ditador? É uma pergunta que só o grande inventor do cinema consegue nos responder. Assim como aquele malandrinho apaixonado pela vendedora de flores em Luzes da cidade ou aquele operário maluquinho, Charlie sabe nos deixar apaixonados com tanta delicadeza com que critíca o mundo.

Labirinto.

Seria a maior injustiça do mundo se esse filme não entrasse aqui. Assim, ele era meu filme favorito dos 8 anos. Assistia a ele todas as tardes em VHS ainda mas como a fita era da minha tia eu tive de devolver um dia e ficar privada da cena mais linda da minha infância, aquela do baile ao som de “As the world falls down” de David Bowie, que arrasa muito neste filme. Sempre ficava pasma quando ouvia as crinças dizerem que o filme favorito delas era “A Branca de Neve” quando existia Labirinto por ai.

Star Wars.

Coloco Star Wars porque não sei escolher um só. Quer dizer, eu sei mas não tem graça assim. Star Wars é a história de guerra mais brilhante da galáxia. Uma ditadura interplanetária cheia de corridas de pods, sabres de luz, naves espaciais, criaturas estranhas e batalhas alucinantes, tudo isso regido pela Força.Tem como não amar?

Kill Bill.

Incrível como uma lista pode mudar a vida de alguém. Mais ainda se for uma lista de pessoas que você precisa matar. Minha estrela de Pulp Fiction de volta, 2 vezes mais agressiva, cumpre seu objetivo de maneira impecável, derrubando MUITO sangue, vencendo quase um exército. Ok, muita gente não concorda comigo mas ninguém pode discordar do brilhantismo desta saga de vingança e humor negro.

O Poderoso Chefão.

Tal filha, tal pai. Coppolão soube me fazer amar ainda mais o livro dos meus 12 anos de idade. O Poderoso Chefão é um clássico por motivos óbvios: é uma lição de vida. Sim, LIÇÃO DE VIDA. Ninguém que não viu esta saga está preparado para as dificuldades deste mundo cruel e violento. É assim na vida, esperteza é tudo.

Enfim, galera, são esses os meus filmes favoritos.
E pra quem não sabe minha ausência é por uma boa causa, eu estou batalhando muito pra entrar na USP então meu tempo está muito reduzido. Peço desculpas pela milésima vez e agradeço os comentários!



17 comentários:

Tay disse...

Só conheço o 2º e o 3º filme, mas todos parecem ser muito bons *-*

bjus =*

Gabriela Petrucci disse...

Amelie <3
Preciso dar outra chance pra Elizabethtown!
Não gostei de Maria Antonieta não, mas a fotografia e o figurino... <3
Preciso assistir Brilho Eterno urgente!
Correndo com Tesouras vai agora mesmo pro meu "quero ver" do Filmow!
Tô esperando Meia Noite em Paris estrear aqui, ou seja...
Já leu a biografia do Chaplin? É lindíssima! Quero muito assistir toda a filmografia dele!
Esse Labirinto nunca assisti também, mas o videozinho me lembro aquele A Lenda, já viu?
Nunca assisti Star Wars e dormi com Kill Bill e com O Poderoso Chefão. Sou uma vergonha cinematográfica!

Beijo, Ruvs!

Nathy disse...

Gente, eu preciso urgentemente assistir O fabuloso destino de Amélie Poulain. Não gosto de filmes franceses, mas ouço falar tantooo desse filme. Preciso assisti-lo! rs

Beijos!

Tary disse...

Nossa, eu amo Amélie e Elizabethtown é vida! Maria Antonieta é lindo e foi super incompreendido. E pra Brilho Eterno eu preciso dar uma nova chance porque da última vez não rolou. Queria muito que Meia noite em Paris viesse pra minha cidade, mas não vai rolar. Você viu no cinema ou baixou? Saudade enorme daqui. Beijo =*

Gabriel Pozzi disse...

oi amoooor!
eu vou fazer a lista dos meus favoritos, daí a gente assiste todos os 20 filmes juntinhos (ou 22, né? já que vc resolveu colocar 12 na lista u_u)!

pelos meus cálculos, a gente já assistiu juntos... Amelie Poulain no liceu, Elizabeth Town e Poderoso Chefão na minha casa, Meia Noite em Paris no cinema :)
alguém passou no liceu O Grande Ditador, vc não tava? '-'
desses são prioridade os 2 que eu não assisti, tá? Adeus Lenin e Brilho Eterno!

te amo gatinhaaaaa <3

Anna Vitória disse...

Adorei sua lista! Tem praticamente todos os filmes que eu gosto. Sou fã da Coppolinha, mas acredita que Maria Antonieta é o filme dela que eu menos curto? Sou mais o Lost In Translation e As Virgens Suicidas. Mas concordo que a Kirsten Dunst está MUITO maravilhosa como Maria Antonieta, e que quando toca Whatever Happened? eu fico toda arrepiada!
Agora uma coisa que eu preciso fazer na minha vida é assistir Labirinto! Acredita que nunca tinha ouvido falar? E, GENTE, é com o David Bowie, sou super fã dele <3
Estou louca de vontade de ver Meia Noite Em Paris, me roendo de vontade de baixar, mas quero esperar chegar no cinema daqui. Se chegar. Ai vida interiorana!
Adorei o post, beijo!

Kamilla Barcelos disse...

Muitos filmes eu tb adoro, como Amelie, Tudo acontece em Elizabethtown, Kill Bill... Mas muitos que não vi, eu tenho muita vontade de ver.

Gab disse...

Ai gente, que tortura essas listas de filmes. Sempre adiciono mais na minha lista de "preciso ver". Da tua lista eu preciso ver Tudo acontece em Elisabethtown, Maria Antonieta e Labirinto. Adeus, Lênin eu amo de paixão! Que história boa.
Beijo!

Rafa disse...

"Maria Antonieta", "O Grande Ditador" e "Tudo Acontece em Elizabethtown" são filmes muito lindos mesmo *-* Tenho muito amor por eles! Os outros eu nunca vi/nunca tive interesse em ver hm* Acho que nessas férias vou alugá-los e passar uma tarde inteira vendo filmes! :D
Beijos.

Renata disse...

Haha! Algodão doce cinematográfico!! Adorei! O Elizabeth Town eu só assisti uma vez e confesso que nem foi prestando muita atenção. Quando eu achar vou comprar, pra assistir prestando atenção direito e sozinha, porque eu já vi que é o filme favorito de muitas blogueiras. Eu preciso dar mais uma chance a ele. :)

Sofia Coppola. Você é chique. Eu sou da turma que não sabe que filme é de qual diretor, única e especificamente porque eu não reparo nessas coisas. Ok, Tim Burton e Tarantino à parte.

Eu escrevi sobre Brilho Eterno no blog de alguém. Mas vou repetir aqui: eu assisti em uma fase péssima da vida, aquela que dá mesmo vontade de apagar belos anos da vida pra esquecer que uma única pessoa existiu. E assisti por indicação. Na verdade eu deveria ter gostado do filme, justamente por estar passando por aquilo, só que no fim das contas eu odiei. Porque não gosto de filmes depressivos, porque a agonia que eu já sentia na minha vida estava ali estampada em um filme. Hoje, passado o sufoco, eu penso que não. Eu nunca apagaria nada nem ninguém de propósito das minhas lembranças. Tirando o fato de esquecer naturalmente as coisas que aconteceram, eu acho que tudo aquilo que passei me fez ser o que eu sou hoje. Então foi útil, né?

Eu nunca verei um filme que um professor de geografia tenha me indicado. Geografia sempre foi a matéria que eu mais odiava na escola!

Me interessei pela história do Correndo com Tesouras. Parece legal!

Eu devia sentir vergonha de não ter assistido os filmes de Chaplin. Eu vi só um, na faculdade, que mostrava linhas de montagem e indústrias de antigamente. Mas queria ver outros. Só que se nem filmes de 1980 não existem mais pra alugar..... vou ter que deixar minha vontade de ver Charles Chaplin pra lá, né?

Menina, nunca ouvi falar nesse Labirinto! Deve ser das profundezas, tipo o meu Mestres do Universo! hahahah

Eu sei que você terminou com blockbusters como Star Wars, Kill Bill e O Poderoso Chefão, mas você não me engana, Rúvila. Eu sei que você é alternativa. Agora sei que não é só na música, mas nos filmes também! rs

Gostei da lista! Beijo.

Au disse...

Só assisti dois filmes da sua lista, na verdade, três, mas "Maria Antonieta" faz bastante tempo e eu não lembro absolutamente nada da história. Assisti "O fabuloso destino de Amélie Poulain" para entender o motivo do filme ser sempre elogiado. E adoro "Kill Bill", acho a história ótima, os personagens são ótimos e o no final, quando ela chora sozinha chão no banheiro, conseguimos entender o que ela está sentindo. Muito bom!

Beijo!

Gabi Magnani disse...

Eu estava mesmo precisando de uma lista de filmes bons para ver. Desses eu só vi Elizabethtown, do qual não lembro nem a metade rs. De qualquer forma, esse post vai ser de grande utilidade para mim. Obrigada e parabéns pelo blog, muito legal!

sobrefatalismos disse...

Amo Maria Antonieta e Amélie Poulain. personalidades fortíssimas. Filmes com direção exemplar.
Um beijo.

Deyse Batista disse...

Acredita que eu não gosto simplesmente de nenhum filme da sua lista? hahaha, sou bem menos cult cinematograficamente (?) falando. Meia Noite em Paris eu ainda não vi, ok. E tem alguns que eu realmente preciso dar outra chance... Mas Brilho Eterno e Star Wars simplesmente não me desceu.
E você está extremamente sumida, Ruvs! Eu te entendo completamente, porque estou ocupada idem, mas vê se dá as caras ao menos um pouco nesse julho lindo, ok?

Beijos, querida!

Nath disse...

Star Wars é um dos meus favoritos [como boa nerd que sou]
Elizabethtown já é filme dignode estante
Meia noite em Paris estou louca pra ver, e os outros me interessaram muito

Amei as dicas (:

Vanessa disse...

Sua lista é um espetáculo! Mas sabe que nunca consegui terminar de assistir "O fabuloso destino de Amélie Poulain"????

Gabriela disse...

Finalmente alguém que não toma Elizabethtown for granted, eu amo esse filme, é muito sutil e muito cheio de coisa e sem contar que as atuações são geniais. Gostei muito da sua lista, eu também morro com o Bowie em labirinto e Star Wars é coisa de Deus *____* Único que eu discordaria um pouco é Maria Antonieta, adorei o filme, cenário, figurino, trilha, fotografia, mas é um filme que deixa um pouco a desejar, acho que ela não conseguiu atingir toda a profundeza da superficialidade que ela quis mostrar no filme, eu colocaria Somewhere, no lugar, que é lindo e eu recomendo caso não tenha assistido ainda ^^

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...