Páginas

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Àquele-que-não-se-deve-nomear

Hoje eu acordei escritora e não isso que você vem me treinando para ser. Hoje vejo poesia até mesmo nos olhares raivosos que você me lança.

Eu tenho coração, peço que você o tenha também. Não me olhe como se eu te devesse perfeição, não me olhe como se eu não pudesse errar. Não me olhe como se você não errasse também. Seus erros são até mesmo piores que os meus afinal eu nunca disse saber o que estava fazendo, você em compensação, age como se soubesse de tudo. A boa noticia para mim é que certas coisas não se aprende com intelecto e sim com o coração. A principio disse que queria aprender hoje me arrependo, não quero aprender nada disso, você nem ao menos se preocupa com minhas dúvidas. Não me venha dizer que sou um desperdício de tempo e espaço, você mal me conhece. O que você sabe sobre mim além de meu nome? Nome que você faz questão de repetir sempre que algo de errado acontece. Não me venha com seu ar bossy, você não manda em mim, estou aqui por não ter outra escolha no momento. Somos opostos. Sua linguagem é outra. Poderia escrever seu nome aqui que ainda assim você não entenderia o que estou dizendo, para você isso é somente um amontoado de palavras. O enterro de sua sensibilidade aconteceu no dia de seu nascimento. Eu o culpo por cada sorriso vazio que eu dou, por cada expressão de insatisfação, pela minha cresente falta de paciência, por todo o meu stress, pela minha crescente ingnação com as formas de poder. Seus amigos não são meus amigos, cada minuto perto de você é um pouco mais de veneno depositado em meu peito. Você sabe o que é melhor para você e para mim, só não o faz por não ter culhões, assim como eu que também sei o que seria melhor para mim nesse momento mas não o faço, não por falta de coragem como você, e sim por necessidade. Necessidade maldita essa de viver em uma sociedade em que um pedaço de papel compra almas. Nesse momento sou apenas mais uma alma vendida, mas pode ter certeza que isso passará. Queria fugir, mas meu espirito está preso aqui, então seguro o grito que queria dar e volto a minha rotina idiota que se torna a cada minuto mais intolerável. O que eu tenho a dizer é que essa rotina, para mim, tem os dias contados mas para você ela é a vida toda.

4 comentários:

Deyse Batista disse...

Você sabe bem como eu fico meio anestesiada sempre que venho aqui, porque eu não simplesmente me encontro nos seus textos... É como se eu mesma os escrevesse. Puxa, não há como discordar de cada uma das suas palavras se eu as tivesse lido há algum tempo! Magnífico texto, sabe? Um drama e uma dor do jeitinho que eu gosto.
Beijos.

Duanny!. disse...

Sincero, e um tanto amargo.

Mas, adorei. =)

Gabriel Pozzi disse...

hey amoooor...
hahahaha esse texto é muito difícil de desvendar pra quem você escreveu mesmo, se vc não tivesse me falado :(
mas a vida é assim, né gatinha... há tantas coisas que queremos mudar nela, há tantas coisas que nos desagradam... o importante é nunca desistir de mudar, persistir sempre no nosso ideal de vida, afinal como você disse, essa rotinha chatinha sua tem os dias contados :)

juu disse...

rss
mandou alguém ir se fuder com muito estilo, essa é minha prima!! :D
adorei
rss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...