Páginas

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Singing my blues away



23 de julho. Quando vi que esta data estava chegando, decidi que seria necessário dizer uma ou duas coisas sobre a Amy Winehouse.

Já estamos há um ano sem ela. Estou sentada no meu sofá vendo um especial dela no multishow e prestes a chorar. Ela canta com a alma, com o coração. A cada música que se inicia tenho os mesmos arrepios que tinha desde aqueles 4 meses em 2007 que passei escutando exclusivamente a voz dela.

Fico muito triste quando penso na história dela. Ela morreu tão jovem, com certeza não realizou metade de seus sonhos. Ela foi o meu primeiro ídolo a morrer “nos meus tempos” e talvez seja isso que me deixe tão abalada. Acho muito injusto no dia de hoje ver algumas pessoas chamando-a de drogada. Foram muitas drogas, com certeza, e poderia ter sido diferente mas não foi. Cada um tem sua história e ninguém é limpo o suficiente pra julgar.

Acho que hoje posso dizer que o que me fez ficar tão apaixonada por ela foi a emoção. Poucas vezes vi alguém cantar com toda aquela emoção e isso é insubstituível pra mim. Não me venham com Adele, sério.
E cumprindo aquele juramento que fiz ano passado, na minha biblioteca do Windows Media Player hoje podem ser encontrados dois álbuns: Back to Black e Frank. Ambos baixados com muito amor para as noites de solidão quando canto junto com ela todas as minhas tristezas.

Em todo fim de festa você me encontrará dançando sozinha e de olhos fechados a versão de “Back to Black” que toca na minha cabeça. 


7 comentários:

Taryne disse...

Meu primeiro ídolo a morrer foi o Heath Ledger, Ruvs. E isso dói tanto até hoje que acho que consigo te entender.

Flor, não me considero super fã da Amy, mas algumas músicas dela são muito importantes na minha vida. O toque do meu celular no momento é Valerie, acredita? Isso deve ser clichê para os fãs número 1 como você, né? Hahaha! Mas eu AMO essa canção e ela é importantíssima pra mim.

Poxa, eu acho que a Adele canta com emoção, hahaha! Dela eu sou super fã e bem antes dessa loucura toda começar. Outra que sempre me emociona é a Joss Stone, adoro ela <3

Beijos!

Gabriela Petrucci disse...

Fiquei tão chocada quando percebi o significado da data de hoje. Sabe, foi uma coisa que passou tão... rápido. Clichê, eu sei. Mas até hoje não consegui acreditar na morte da Amy, acho muito surreal!

E é ela quem vai embalar minha noite, hoje.

Beijos, Ruvs! <3

Rafaela disse...

Nenhum ídolo meu morreu "nos meus tempos" ainda. Graças aos céus. Não consigo nem imaginar a dor que deve ser...
Nunca fui fã da Amy, sequer fui com a cara dela, mas enfim. Uma grande perda pra música! Acho triste pensar que ela se perdeu tanto, sabe? Muito triste =/

Beijos, Ruvs!

Gabriel Pozzi disse...

Nossa, um ano já.

Adoro seus posts feitos com coração para alguém... Todo mundo consegue sentir a sinceridade no que vc diz!
Creio que perder um ídolo traz um grande vazio, mesmo que vc não tenha trocado uma conversa de dois minutos se quer com a pessoa. Afinal, a gente sempre sente como se conhecesse nosso ídolo, mesmo tendo visto ele - talvez - apenas pela tv.
Por fim, concordo 100% com a moça acima: eu nunca bati muito com a amy, mas considero sua partida uma grande perda pra musica, e acho muito triste os rumos que a vida dela foram tomando com o passar do tempo :(

Bjs, amor ♥

Tay disse...

Eu adoro a Amy, Ruvs. Sua músicas sempre foram muito significativas pra mim, e quando teve show dela aqui em 2011, eu fui. Fiquei emocionada porque nunca fui tão fã de alguém como da Amy. Ela podia estar bêbada, drogada, mas como você disse: nunca vi ninguém cantar com tanta emoção. E ela emanava essa luz, que - uma pena - se acabou tão cedo. Chorei tanto no dia que ela morreu, mas ontem apenas lembrei que ela fez uma linda carreira. Curta, sim, mas significativa demais. Continuemos ouvindo Amy. Eu nunca vou parar. :)

Larissa L. disse...

Nem fale, Ruvs, a Amy faz e ainda vai fazer muita falta, principalmente nesse mundo musical atual! Ela sempre foi intensa e é isso que é legal nela, o coração sofrido, a paixão avassaladora, a tristeza... e isso tudo que inspirou as mais belas músicas!
Confesso que ela não era minha maior ídola, até pq eu nem conhecia todas suas músicas, mas sempre gostei muito dela e de todas as músicas que já tinha ouvido!
E assim como disse a Tary, meu primeiro ídolo a morrer foi o Heath Ledger também e até hoje me sinto triste por isso!
E concordo com vc, não me venham com Adele, cada um é cada um!!
Beijos querida!

Deby disse...

Eu confesso que fui escutar mais a Amy depois da morte dela, antes eu já gostava mas só de Rehab, Back to Black e uma ou outra música mais.. mas eu adoro o estilo e a voz das músicas dela! Também fico P da vida quando alguém lembra de um artista pelas drogas ou qualquer problema que ele teve, eu não tô nem ai.. pra mim o que importa é o trabalho que ele deixou! Até hoje me lamento por não ter ido no show dela..

Adorei o blog, beijo! :*

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...