Páginas

sábado, 16 de julho de 2011

Saudade de pensar

A verdade é que eu sinto saudade de pensar. Pensar, pensar. Para ser mais sincera não pensar mas filosofar, questionar. Não aquela filosofia da escola - tanto porque se eu estivesse pensando nela estaria agora imersa em um existencialismo do inferno que, graças a Deus, eu já passou (mas eu sei que por mais que eu fuja ele volta). Estamos todos condenados à Sartre, não adianta correr. Eu sempre fui bastante crítica, sempre formando opiniões e ideias sobre tudo, agora esse meu instinto parece meio adormecido.
Voltando ao assunto: eu sou vestibulanda, o que eu mais faço é pensar mas eu passo os dias pensando em como resolver uma função logaritmica ou como deslocar um corpo usando somente 10 joules. Sendo direta, passo o meu tempo pensando em coisas inúteis. Para fugir deste mundo sem atrito eu me apego aos meus estudos de humanas, gosto muito de imaginar como era viver na época de Henrique VIII e até escolhi meu rei favorito, porque humanas fazem um sentido real para mim, o que as exatas não fazem. O problema é que eu preciso estudar mais exatas então minha cabeça na maioria do tempo fica cheia dessas besteiras de energia, pressão, logaritmos, inversos, bijetoras... E é normal, a maioria dos vestibulandos sofrem disso. Alienação típica. Ano passado eu estudava bem menos porque passava mais tempo pensando em questões mais práticas e presa em questões existenciais.
É um ciclo vicioso, quanto mais tempo passo pensando em resoluções de questões menos consigo achar soluções para problemas. Cheguei ao ponto de não saber qual solução dar em redações, de ter dificuldade de formular mais de uma opinião sobre um assunto apesar de ainda não estar nem perto de um exatóide.
Sentei aqui pensando no que ia escrever para o blog e fiquei pensando nos últimos meses o quanto eu escrevi mentalmente, o quanto eu produzi e não passei para o papel por falta de tempo mesmo. Eu tenho aquele instante na cama antes de dormir, um R.E.M., onde produzo textos e textos na esperança de lembrar na manhã seguinte e passar para o plano tangível mas nunca sai. Cheguei a conclusão que serei a Alba del Valle, a garota que escreve sem papel. É paradoxal isso que eu estou vivendo, estou lutando para entrar na faculdade para aprender a fazer o que eu gosto e enquanto eu não entro eu tenho de deixar de lado o que eu gosto, paradoxo. Todo esse abandono de blog: paradoxo. Todas as aulas de matemática: paradoxo. Embora faça sentido porque o início de tudo isso, o início da motivação para entrar na faculdade, foi a minha necessidade de exteriorizar sentimentos e o vazio de palavras é porque eu estou lutando para não os ter. Sentimentos atrapalham seriamente uma mente focada em um objetivo, só mantenho o amor, que é essencial. O amor é o que me motiva a acordar cedo, passar tardes resolvendo bullshits sobre coisas que não entendo, a dormir tarde, a tirar forças de dentro de mim mesma e nunca me acomodar. Guardo meus sentimentos para ter mais força, mais racionalidade e concentração.
Eu procuro fazer a manutenção da minha felicidade todos os dias, aprendi a sorrir a cada vez que me supero nos estudos, cada vez que aprendo algo que não sabia antes me vejo mais perto da minha meta. É essencial estar feliz ao lutar por um objetivo. Tristeza não motiva ninguém.
A verdade é que eu sou Alba del Valle Trueba.  

14 comentários:

Nathy disse...

Eu sei bem o que é essa fase...mas depois virão outras, rsrs

Beijos!

Ana Lu disse...

Ei Rúvis! Essa fase pré-vestibular é bem chatinha mesmo. Mas sabe de uma coisa? Ela acaba! E bem mais rápido do que você pensa!
Boa sorte, querida!
Beijos!

Tary disse...

É o cúmulo do clichê dizer que "vai passar", mas é a mais pura verdade. E a vida é repleta de clichês, então eu posso me permitir dizer esse pra você agora, né? Só posso te desejar boa sorte e te aconselhar que sempre tente manter a paz dentro de você pra evitar se desgastar muito. Um beijo!

Tay disse...

Passamos por muitas fases, e algumas delas as vezes a gente não consegue explicar, mas é só questão de tempo, porque todas elas passam xD
bjus ;*

Gabriel Pozzi disse...

Amor, acho que no fundo todo mundo que gosta de escrever é um pouco Alba del Valle, seja ela quem for. Tenho certeza que, se todas as nossas ideias de quando estamos prestes a dormir fossem para o papel, teríamos vinte vezes mais coisas produzidas do que temos hoje. Até mais!

É, não dá pra ser muito filósofo em ano de vestibular mesmo, já que a filosofia do vestibular é simples: decore isso e você entra. Falem o que quiser, podem usar o argumento que for, é isso e ponto. Decore. Decore. Decore.

Mas é isso aí, teremos o resto da vida depois pra brisar o qto quisermos, talvez eu mais do que vc, já que jornalismo é "um pouco" mais ligado à realidade do que artes, maaas, podemos refletir o qto quiser ;))

A propósito, sem essa de existencialismo, hein mocinha?! Sabe o espiritismo? Ele ajuda tanto a combater isso...... ;))

Lilica disse...

Menina, muitas vezes acontece também comigo o fato de pensar em algo bacana antes de dormir, imaginar um texto legal e no dia seguinte esquecer tudo! Rs!
Acho que neste momento a sua mente está tão focada para os estudos, que não sobra espaço para outros pensamentos! Mas logo logo eles voltarão, você vai ver! Beijos

Paloma disse...

É assim mesmo, às vezes fica meio difícil conciliar tudo. Mas tenta lembrar que é temporário, já já passa. E aí você pode voltar lá no cantinho onde vc guardou seus sentimentos e trazê-los de volta. Os que ainda forem úteis, claro. Mas toda essa concentração vai valer a pena, vc vai ver!
Beijos

Anna Vitória disse...

Ah, Rúvis querida, sabe o que eu constatei de pior? Vestibular fez de mim uma pessoa medíocre. Sabe aquela coisa de torcer pras coisas sempre serem fáceis e descomplicadas, de achar bom quando metade de uma prova da escola é anulada - porque aí é menos coisa pra me preocupar - escolher nas redações não o tema que eu mais me identifique ou mais tenha conhecimento, mas sim aquele que é mais fácil e rápido de fazer e esse tipo de coisa. Nunca fui desse tipo e sempre gostei de desafios, por mais brega e Big Brother que isso pareça, e agora me vejo torcendo pras coisas serem descomplicadas, pras pessoas se embaraçarem, e etc. Um caos.
Mas a gente tá quase lá, Deus está vendo todo esse esforço. Força!
Beijos

Kamilla Barcelos disse...

Eu sei muito bem o que é ter de estudar Exatas para passar no vestibular para fazer Humanas. E nesse ínterim, a gente perde o prazer de estudar as matérias que a gente gosta.

Luisa Pinheiro disse...

Esse teu desabafo deveria ser lido por todo vestibulando. Ninguém está sozinho nessa, é uma situação muito difícil e desgastante.
A minha "sorte" era que eu não tinha a menor ideia do que era jornalismo e o que eu aprenderia na faculdade e não sentia tanta falta de fazer coisas legais em vez de estudar matemática (até porque, no fundo, eu sempre amei resolver problemas matemáticos), mas só de ficar sem minha literatura eu fiquei muito triste, era tenso.

Já estamos pra lá do final do ano e eu tô torcendo que todo esse teu esforço tenha um resultado positivo daqui a pouco ;-)

Gabriela Petrucci disse...

Odeio vestibular, é a coisa mais injusta do mundo!
Mas é como o Gabriel disse, Ruvs, todo mundo é um pouco Alba del Valle, seja lá quem ela for.

Na minha época de vestibular eu fiz o contrário, ao invés de estudar o que eu não sabia eu bati na tecla do que sabia. Li tudo que achava das minhas específicas e, o que mais me ajudou, resolvi todas as provas da UEM desde que virou somatória. Mas eu não sei como é o vestibular daí, então não sei te aconselhar direito.

Logo tudo melhora e o esforço vai valer a pena!

Beijo

Vanessa disse...

Sem querer te preocupar, mas dependendo do curso a alienação de vestibulando se estende para de universitário também. Precisamos estar em vigilância constante hahaha Liberte-se e se entregue às palavras! Você vai se sentir melhor.
Ah, quem é seu rei preferido? Também tenho um agora haha

sobrefatalismos disse...

Eu também sou adepta à área de humanas. Gosto muito de História, é o que pretendo cursar.
Fisolofar inutilidades é uma barra mesmo. Mas espero que essa fase passe e o tempo melhore. Beijos.

Lara disse...

Eu sentia falta de ter vida :/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...